quarta-feira, dezembro 30, 2009



PAULO GAMA(PROJECTOS)

Telm:966419746
Email:naudosom@clix.pt
ENTRE EM CONTACTO!
BOAS FESTAS...COM MUITA MÚSICA!

terça-feira, dezembro 29, 2009






Paulo Gama(curtas)

"Tamanho não é um documento.A baleia é uma espécie ameaçada,enquanto as formigas continuam optimas."



PAULO GAMA


Ouve músicas de minha autoria
pág-http://www.soundclick.com/paulogama



Notícia de última hora;os"Xutos e Pontapés"não actuam no espectáculo de Lisboa, porque o guitarrista Zé Pedro encontra-se doente.Em substituição estará o "Grupo Novo Rock-GNR".

Paulo Gama

quinta-feira, dezembro 24, 2009


Paulo Gama(POESIAS)

A FAMÍLIA JÁ ESTÁ JUNTA
A família já está junta,a mesa está posta.
Há bacalhau,há perú,há pato para quem gosta.
No centro uma vela dá luz e sorri ao Natal.
Não há coisa mais bela,nem outra altura igual.
Todos conversam em paz em amor.
Oferecem-se a si de prazer,do que é melhor.
Quem é que disse que os vinhos e sumos são para guardar?
Também as sobremesas não foram feitas para sobrar.
Tragam mais pratos,mais actos,as nozes estão a acabar!
Ponham um disco alegre,a lebre já acabou de assar.
A missa do galo daqui a pouco(eu)sei que vai começar.
O padre convidou-me para lá ir,depois vem aqui manjar.

sábado, dezembro 19, 2009


Paulo Gama(citações)
"A centuria que vimos estudando é aquela em que mais se aprimora e esplende a mentalidade lusitana.Em todos os territórios abertos à actividade intelectual há figuras empolgantes:Camões e Ferreira,Bernardim e Rodrigues Lobo,João de Barros e Diogo do Couto,Garcia da Orta e Rodrigues de Castro,Cabedo e Valasco.Os livreiros de Lisboa vendem anualmente para cima de vinte mil euros,e orça em outro tanto o papel que vem de França,Veneza e outros lugares.
Não chega até aqui a projecção dessa claridade!"
José Osório de Oliveira-LIVRARIA BERTRAND-LISBOA

segunda-feira, dezembro 14, 2009


Paulo Gama(poesias)

EM SINTRA
Estou tão contente,
Sintra está diferente!
Do alto dos miradouros,onde já estiveram os mouros,avistam-se luzes por toda a parte,
o Natal decorou,a paisagem com arte.
No centro da vila,
entre travesseiros e queques de gila,passeiam-se netos e avós,casalinhos a sós.
Na igreija toca o sino,
todos falam de Deus,quando foi menino!
Até as flores parecem estar a cantar,
os táxis não param de trabalhar.
Que sorte tenho em cá estar!
Tudo me faz admirar!
Passaram agora cavalos e uma carruagem;
acenaram-me,os que iam na viagem.
Estou tão contente,
talvez eloquente!
Sinto o espírito do Natal,
aqui em Sintra,em Portugal!